Animação de loading

Com entrega de 7 diplomas de dupla certificação

Semana Europeia da Formação Profissional

Comemora-se no decorrer da primeira semana de Dezembro o dia Internacional das Pessoas com Deficiência (dia 3) e a Semana Europeia da Formação Profissional (5 a 9).

A valência de Formação Profissional da Fundação ADFP entregou dia 6 de Dezembro, mais 7 Diplomas de dupla certificação (saídas profissionais com equivalência ao 9º ano), durante um Almoço de Cerimónia no Restaurante Museu da Chanfana.

Os diplomados foram Humberto Silva Salgado, Rui Edgar Castro Cruz, Luís Filipe Gonçalves Simões, Rita Isabel Braga correia, Maria Emília Simões Francisco, Sandra Cristina Dias Gonçalves e Luís Carlos Mendes Lemos.

Pouco antes da cerimónia, Diamantino Santos, em representação da Direção Regional do Centro de Emprego do Pinhal Interior Norte, declarou que a cooperação entre a Formação Profissional e o IEFP “é sempre importante, sobretudo em termos da qualidade e também na integração dos formandos no mercado de trabalho”.

No final do almoço, Jaime Ramos, presidente do Conselho de Administração da Fundação ADFP, agradeceu a presença de todos, formandos, equipa de formação, e o coordenador Fernando Marques, afirmando que “é importante para quem faz formação participar ativamente, ser reconhecido com um diploma, esperando que no futuro, isso o ajude a integrar o mercado de trabalho”.

“Com imenso orgulho, podemos afirmar que 6 dos 7 formandos se encontram integrados ou em via de integração profissional, 4 dos quais na Fundação, e na maioria dos casos recorrendo a medidas ativas de emprego promovidas pelo IEFP, e tendo com parceiro estratégico o Centro de Emprego do Pinhal Interior Norte, através da sua Delegação na Lousã”, declarou o coordenador da Formação Profissional, Fernando Marques.

As medidas de apoio à formação profissional para pessoas com desvantagens, iniciadas em Portugal em 1990, contaram desde a 1ª hora com a ADFP como entidade promotora.

Em 29 anos de trabalho Fundação apoiou mais de um milhar de pessoas

Nestes mais de 25 anos de trabalho realizado neste domínio, a Fundação ADFP apoiou, nesta área de intervenção, mais de um milhar de pessoas portadoras de deficiência e doença mental.

A instituição começou com áreas de artesanato, cumprindo um dos seus objectivos estatutários e, hoje, tem a oportunidade de oferecer Dupla Certificação - escolar e profissional - em 6 áreas distintas, como sejam a de operador/a agrícola, operador/a de jardinagem, carpinteiro de limpos, assistente administrativo, assistente de apoio familiar e à comunidade e empregado/a de andares.

A "Regulamentos e Despachos Normativos" sofreram sucessivas alterações ao longo dos anos, mantendo sempre o Instituto de Emprego e Formação Profissional como organismo intermédio. Contrariamente a alguns dos normativos, A Fundação ADFP sempre defendeu uma lógica de valorização do produto da formação, por consequência de um método o mais próximo possível de uma prática próxima do contexto de trabalho e da valorização de aptidões de cada um.

Simultaneamente, a Fundação sempre defendeu uma lógica de emprego sustentável, procurando criar valências e serviços que sejam o garante da criação de emprego apoiado para pessoas com desvantagens. Na última década, tem conseguido percentagens de integração sempre acima dos 60%.

A lógica de emprego apoiado implica, em muitas situações, um conjunto de apoios de retaguarda, que no caso da Fundação ADFP incluem, nalguns casos, a própria residência.

A Fundação orgulha-se de ter actualmente nos seus quadros, cerca de 70 trabalhadores com desvantagens, alguns deles continuando a residir na ADFP e muitos desempenhando funções de enorme responsabilidade.

Instituição Privada de Solidariedade Social, a Fundação ADFP pode hoje dizer que faz um trabalho de verdadeira inclusão, valorizando talentos, potenciando aptidões e criando emprego sustentável, promovendo a qualidade de vida e o exercício de plena cidadania das pessoas com desvantagens.

Comentários