Animação de loading

Cinco javalis bebés enchem de alegria o PBSL

Parque Biológico da Serra da Lousã

Logo pela manhã, a Vida desperta no Parque Biológico da Serra da Lousã… A água resvala pelos caminhos, as plantas abraçam os primeiros raios de sol, os javalis banham-se nas poças de lama!
Este seria mais um belo dia como todos os outros, não fosse a descoberta de dois javalis bebés que haviam nascido durante a madrugada, para grande surpresa de funcionários e visitantes. Todo o Parque ficou mergulhando numa formidável vaga de energia.


Após cerca de 4 meses de gestação, nasceram 2 crias que apresentam listras amarelo-acastanhadas que se mantêm até aos 6 meses de idade pelo que até esta altura se designam de bácoros ou listados. Cerca de 3 a 4 dias antes do parto, a fêmea procura um local sossegado, seguro e perto de uma fonte de alimento, onde faz a cama escavando no solo uma extensão de 2m de comprimento e cerca de 1m de altura e protege a orla do ninho com ramos e folhas, forrando-o também com ervas secas e folhas.
Estes pequenos javalis nascem com um peso aproximado de 1kg mas quando adultos podem pesar até 150 kg.
 

Passados uns dias, mais uma javalina deu à luz no Parque Biológico da Serra da Lousã 3 pequenos javalis.
 

Trata-se de uma espécie de hábitos essencialmente nocturnos e crepusculares e que aproveita o dia para descansar e tomar banhos de lama que têm como principal função a regulação da temperatura corporal além de evitarem queimaduras solares e picadas de insectos. O javali apresenta uma dieta alimentar omnívora que consiste em sementes, frutos, raízes, tubérculos e pequenos invertebrados que obtêm ao remexer o solo. Ocasionalmente podem caçar coelhos, roedores ou répteis.


Além desta família, agora com mais cinco elementos, o Parque possui mais animais: raposas, lontras, águias, garranos, sacarrabos, entre muitos outros.


A Fundação ADFP – Assistência, Desenvolvimento e Formação Profissional – entidade gestora do Parque, com este projecto visa criar postos de trabalho para pessoas com deficiência, doença crónica e/ou vitimas de exclusão social, incentivando ao mesmo tempo a biofilia e a paixão pela Natureza.


Apoie esta causa e apadrinhe os animais! O apadrinhamento tem um custo de 60 € (sessenta euros) anuais, recebendo os padrinhos um comprovativo da sua generosidade e um livre-trânsito que lhes permitirá visitar o parque e observar o animal que apadrinhou sempre que desejar. Todos estes animais podem ser visitados todos os dias da semana entre as 9h e as 19h no Parque Biológico da Serra da Lousã, em Miranda do Corvo.


Venha fazer uma surpresa a estes bebés!

Comentários