Animação de loading

Chama da Solidariedade esteve na Fundação ADFP

Iniciativa da CNIS com a parceria da UIPSS em Miranda do Corvo

Tal como nos Jogos Olímpicos, a tocha com a Chama da Solidariedade acesa, que pretende chamar a atenção para o trabalho das IPSS, que percorreu a maioria dos concelhos do Distrito de Coimbra, veio a Miranda do Corvo dia 26 de Setembro.

À chegada ao Centro Social Comunitário Sede, representantes da CNIS (Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade) e da UIPSS (União das Instituições Privadas de Solidariedade Social) foram recebidos pelo Coro da Universidade Sénior da Fundação ADFP, que em formato reduzido interpretou alguns temas, bem como pelo anfitrião Jaime Ramos, dirigentes, funcionários e utentes.

Embora tivessem sido convidados os autarcas primaram pela ausência insistindo em ser desagradáveis para as entidades oficiais que vistam Miranda a convite da Fundação. Recordamos que mesmo membros do governo e ministros são desprezados pelos autarcas quando estes se deslocam a Miranda por iniciativa da ADFP.

Diante da chama acesa, Horácio Santiago, presidente da UIPSS, conhecido militante socialista de Coimbra e Ex-Presidente da Junta de Ceira, definiu a Chama da Solidariedade como “um simbolismo que pretende chamar à atenção para o trabalho, excelente, que é feito pelas instituições de solidariedade, um trabalho que é feito em favor das pessoas, valores, e a favor das comunidades em geral. Seríamos com certeza e muito diferentes para pior se não tivéssemos instituições de solidariedade”.

Após referir tratar-se de um regresso às raízes, pois a mãe é de Lobazes, Horácio Santiago agradeceu a forma “como todos vós nos estão a receber, com estas cantigas tradicionais que ouvimos e nos trouxeram até aqui para alegrar mais este momento”.

“Isto é uma forma também de demonstrar que, quando somos mais velhos, não é uma desgraça, mas antes pelo contrário, é uma benesse se soubermos levar com alegria, com amor, com carinho, é sem dúvida um momento em que nós já temos mais experiência e ainda bem que lá chegamos porque coitados é daqueles que morrem cedo. Muito obrigado por vocês continuarem a participar ativamente, uns mais novos outros com mais uns anos, não são velhos de maneira nenhuma mas se o fossem não tinha mal nenhum”, concluiu.

O anfitrião, Jaime Ramos, presidente da Fundação ADFP, agradeceu a presença de todos, tendo destacado o Padre Lino Maia, “o dirigente máximo das Instituições de Solidariedade Social em Portugal, bem acompanhado por outros elementos da Direção, particularmente o Dr. Eleutério Alves, que é provedor da Misericórdia de Bragança, e o Sr. Horácio Santiago, da UIPSS, do distrito de Coimbra ".

Jaime Ramos aproveitou a ocasião para destacar o Coro da Universidade Sénior.

“Esta universidade – prosseguiu - tem um papel muito interessante em termos nacionais tendo sido Vencedora de vários concursos de cultura geral; o coro também já conquistou prémios "vincou

Já o Padre Lino Maia sublinhou o objetivo desta iniciativa: “sensibilizar a comunidade nacional para esta grande realidade de solidariedade social que existe em Portugal. É que por tudo quanto é aldeia, por tudo quanto é sítio, há uma instituição de solidariedade com ação social a favor de crianças, jovens, pessoas com deficiência, idosos. Grande parte daquilo que se faz em ação social direta é feito por estas instituições”.

A Chama da Solidariedade percorreu a maioria dos concelhos do Distrito de Coimbra, para depois chegar à X Festa da Solidariedade da CNIS, que se realizou dia 30, com o apoio da UIPSS-Coimbra e da Câmara Municipal coimbrã, na Praça Velha, onde atuaram numerosos grupos musicais.


Comentários