Animação de loading

Carpintaria da Fundação ADFP na Zona Industrial

Antigas instalações vão dar lugar a lar residencial

A valência de carpintaria da Fundação ADFP transferiu-se do Centro Social Comunitário, para o Lote 13 da Zona Industrial, para um edifício com cerca de 624.72 m2, onde continuará a fazer orçamentos, trabalhos para o exterior, manutenções e acções de formação.


As pessoas interessadas podem deslocar-se à carpintaria e fazer encomendas de trabalhos ou solicitar orçamentos.


As acções de formação a nível teórico e prático para carpinteiros de limpos, são no âmbito do POPH (Programa Operacional de Potencial Humano) e destinam-se a pessoas com deficiências e incapacidades.


A carpintaria conta com um monitor e um ajudante, ambos carpinteiros de limpos, e oito formandos.
Entre os objectivos do POPH destaca-se o de promover a igualdade de oportunidades, através do desenvolvimento de estratégias integradas e de base territorial para a inserção social de pessoas vulneráveis a trajectórias de exclusão social. Esta prioridade integra a igualdade de género como factor de coesão social.
 

Numa zona contígua à carpintaria funciona uma unidade de Gestão de Resíduos para recolha de óleos alimentares resultantes de cantinas, restaurantes, escolas e particulares, dos Concelhos de Miranda do Corvo, Coimbra, Penela e Lousã. O reaproveitamento destes resíduos transforma em Biodiesel empregando-se como fonte energética. Este projecto tem como objectivo uma filosofia de inclusão social e de protecção ambiental impedindo a poluição causada pelos óleos usados.
 

Nas antigas instalações da carpintaria, olaria e vime (estas últimas transitaram para a Quinta da Paiva) no Centro Social Comunitário, estão previstas obras de remodelação e ampliação que darão lugar a uma residencial para 26 clientes. Esta infra-estrutura terá uma área de construção de 1234 m2.

Comentários