Animação de loading

Associação Nacional poderá ser instalada em Miranda.

Marcelino Pereira visitou Fundação ADFP

E deu sugestões para o projeto Mentes Brilhantes

Professor Associado na Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação na Universidade de Coimbra, Marcelino Pereira visitou a Fundação ADFP a convite do Mentes Brilhantes e deu sugestões para o projeto.

Acompanhado por Fátima Ramos, do Conselho Geral da Fundação e por Hugo Vaz e José Miguel Simões, (psicólogo e gestor do projeto) este docente que tem como área de interesse a área das Necessidades Educativas Especiais, em todo o seu espectro, percorreu as valências do Centro Social Comunitário, antes de se dirigir ao Centro Educativo de Miranda do Corvo, dia 9 de dezembro.

Foi no laboratório do Mentes Brilhantes que Marcelino Ribeiro tomou contacto com a realidade do projeto, vendo em ação as crianças do 4º ano do ensino básico nas suas experiências orientadas por duas monitoras, e conversou com o diretor José Gabriel sobre o interesse dos alunos nestas experiências laboratoriais, interesse que depois se estende a outras disciplinas, como a matemática, cultura geral, etc., e que são muito bem vistas pelos pais.

Depois de uma breve visita ao Parque Biológico da Serra da Lousã e ao Museu Vivo de Artes e Ofícios tradicionais, Marcelino Pereira almoçou com Jaime Ramos, presidente do Conselho de Administração da Fundação.

“É uma experiência muito interessante – afirmou – embora possa sofrer ajustamentos quanto formato, com uma outra componente aberta à comunidade”.

“Trata-se de um projeto diferente no sentido da implementação, modelo e financiamento, que não é o mais comum. Mas é uma mais-valia. Porque são alargadas à comunidade pode exigir novas respostas no futuro, pois no final 5 ou 6 crianças terão resultados a exigir atenção especial "acrescentou.

Membro da Direção da ANEIS (Associação Nacional para o Estudo e Intervenção na Sobredotação), com sede em Braga, e presidente da delegação em Coimbra, Marcelino Pereira sugeriu que esta pudesse ser reativada a partir do projeto mirandense.

Marcelino Ribeiro considerou que o Mentes Brilhantes integra-se bem no “próprio espírito da Fundação, o da inclusão de todos, onde cabem desde a mente excecional a outras com problemas”.

“O que impressiona na Fundação é a sua dimensão numa vila pequena, a diversidade e filosofia onde este projeto reforça esta marca”, concluiu.

Comentários