Animação de loading

Almoço de apresentação dos Vinho "Terra Solidária" 2014

A Fundação ADFP - Assistência, Desenvolvimento e Formação Profissional de Miranda do Corvo, levou a efeito um almoço de apresentação/divulgação dos Vinhos “Terra Solidária” 2014, tinto, branco e rosé, dia 9 de julho no Restaurante Museu da Chanfana.

A Fundação tem realizado um conjunto de investimentos, tendo como principais objetivos a criação de emprego sustentável para pessoas com necessidades especiais, vítimas de exclusão laboral, com deficiência ou doença mental.

Uma das áreas de investimento, associados ao Parque Biológico da Serra da Lousã, é a produção agropecuária, sendo a vinha um dos sectores preferenciais.

A pequena produção até agora registada, assente em dois hectares da Serra de Sicó, em Penela e Miranda, irá ter um aumento exponencial em 2015/ 2016, com o início de produção em vinhas recentemente adquiridas ou plantadas e que no espaço de três anos aumentará para 19 hectares.

Por esta razão a Fundação iniciou em junho a construção de uma Adega, em edifício existente na Zona Industrial de Miranda do Corvo, uma área de 800 m2, incluindo para além da área de vinificação, um laboratório e uma sala de provas, bem como uma cave para "reserva" de vinhos e espumantes, num investimento de 600 mil €, obedecendo aos mais recentes padrões de qualidade na produção vinícola. A produção tem sido acompanhada pelo reconhecido enólogo Antero Silvano, em regime Pró-Bono, para além dos Eng.ºs Agrários "residentes", Pedro Faria e Victor Araújo. O enólogo Antero Silvano tem no seu currículo vários prémios, ao serviço da Adega Cooperativa de Cantanhede e Caves Primavera e tem apoiado a Fundação de forma gratuita, reconhecendo o objetivo social.

Durante o almoço, Antero Silvano referiu que estes vinhos “são rústicos, ainda experiências sem acesso às novas tecnologias, mas o essencial é a matéria-prima, uvas de grande qualidade para depois dar bons vinhos ”.

Já o vice-Presidente dos Escanções Portugueses, Paulo Pechorro referiu que “os vinhos estão interessantes, porque mostram a realidade da viticultura na região. O branco bastante interessante, está com grande potencial, o rosé também. Quanto ao tinto está muito bem feito também, para alguns será muito interessante agora ou daqui a dois anos, está muito bom.

Na mesma bitola, Pedro Soares, Presidente da Comissão vitivinícola da Bairrada:

“É um trabalho saboroso pela rusticidade e genuinidade do vinho. Se estivesse um crítico internacional ele ficaria mais impressionado. Espero que a Adega, no futuro, com acesso às tecnologias, não estrague esta rusticidade”. Defendeu que "É fundamental que os vinhos se mantenham fiéis ao seu terreno evitando que todos em Portugal, do Douro ao Alentejo, saibam ao mesmo." Todos foram unânimes a reconhecer a elevada qualidade esperando que a Fundação venha a ser uma referência na produção de bons vinhos na região da serra de Sicó e de Lamas / Vila Seca.

O Presidente do Conselho de Administração da Fundação, Dr. Jaime Ramos, pretendeu dar a conhecer os resultados da "sua vindima" que, conforme consta no contrarrótulo, trata-se de "um dia de festa na Fundação, onde crianças, jovens, idosos, pessoas com deficiência e/ou doença mental conseguem fazer refletir no produto final as noções de amor, carinho e bondade inerentes ao projeto".

O Dr. Jaime Ramos falou também dos vários projetos da instituição, desde a construção do hotel ao Trivium, com o Parque Biológico, o Espaço da Mente e o Templo Ecuménico Universalista.

“A Fundação ADFP sabe que sem o apoio do Estado não poderia responder às necessidades das pessoas que apoia: crianças, doentes, deficientes, doentes mentais, pobres... Com investimentos que deseja sustentáveis a ADFP pretende ser menos dependente do estado e capaz de criar mais emprego para responder às carências de mais pessoas necessitadas de ajuda.“

“A área de produção agropecuária da Fundação ADFP, que está associada ao Parque Biológico da Serra da Lousã, permitiu já a criação de duas dezenas de postos de trabalho para pessoas marginalizadas face ao mercado laboral”, sublinhou.

O Vinho "Terra Solidária", no mercado desde 2012 com Vinho Tinto, e em 2013 já com uma pequena produção de Vinho Branco, alarga em 2014 o seu leque de produtos com um "apelativo" Vinho Rosé e, brevemente, também com o Espumante "Terras de Xisto".

Comentários