Animação de loading

Alerta contra perigos e malefícios da internet e redes sociais

GNR em acção de sensibilização na Fundação ADFP

Perante um público heterogéneo com cerca de meia centena de pessoas, entre adolescentes, jovens adultos e avós, a Guarda Nacional Republicana da Lousã, destacou dois cabo-chefes do Serviço de Projetos Especiais, para uma sessão de sensibilização contra perigos e malefícios da internet e redes sociais, dia 28 de Março na Fundação ADFP.


Do destacamento da GNR vieram os cabos-chefes José Neves e Paulo Costa, com este último a alertar para encontros combinados na internet ou redes sociais, roubos de identidades e burlas. Alerta também contra filmes de conteúdos menos próprios.


“Hoje o uso da internet é transversal, seja através de pc´s, tablet, telemóveis, mas convém saber que a internet também é uma coisa boa, e foi inventada antes da 2ª Guerra mundial. As redes sociais também são um perigo, sobretudo para uma criança de 3 ou 4 anos que usa o tablet como uma chucha. Os jovens hoje, e não só, ficam todo o dia fechados em casa, 24 horas a navegar”, afirmou Paulo Costa.


“Na verdade nunca sabemos com quem realmente se está a comunicar ou quem está por trás da comunicação”, afirmou Paulo Costa, acrescentando que “há muitos conteúdos impróprios e é frequente jovens de 12 ou 13 anos criarem perfis falsos com outras identidades, o que constitui crime, que depois será tratado pela Polícia Judiciária”.


“É preciso – quanto aos mais jovens – que as famílias exerçam controlo nas conversas online, que os jovens não contactem com estranhos, nem marquem encontros”, disse Paulo Costa, dando o exemplo da menina desaparecida em Viana do Castelo, e encontrada em Esmoriz.


Foram realçados aspetos cruciais e a ter em atenção com as Redes Sociais, nomeadamente o Facebook, cuidados a ter e os variados perigos existentes (dados pessoais na página do perfil, apropriação de identidade, falsas identidades, imagens, cyberbullying, ausência de controlo efetivo de idade, etc).


“Os sintomas quando são vítimas faz com que se isolem, não queiram falar com ninguém e sentem-se doentes. Em termos de pré-adolescência o cyberbullying, na internet começa por agradar, depois por ameaçar e finalmente por chantagear”, continuou o cabo chefe Paulo Costa, “que considera ocorrer mais nas cidades, onde os pais devem controlar os filhos menores”


“É necessário que os pais falem com os filhos, dotem os seus pc´s com anti vírus, e o bloqueio a certos conteúdos dos menores, podendo as selfies revelar identidades”.


Esta ação de sensibilização dos Serviços de Projetos Especiais da Guarda Nacional Republicana da Lousã insere-se no âmbito de uma parceria ativa com a Fundação ADFP, dando continuidade à atividade que se iniciara no ano transato, tendo sido a abordagem do tema a prevenção rodoviária​.

Comentários