Animação de loading

A novidade do vai ser a visita ao Templo Ecuménico Universalista e a apresentação dos produtos Terra Solidária

No VIII Capítulo da Real Confraria da Matança do Porco

A Real Confraria da Matança do Porco vai realizar o seu VIII Capítulo, cumpridos os tradicionais rituais, com uma novidade no programa, a visita ao Templo Ecuménico Universalista, dia 30 de Outubro.

À semelhança dos anos anteriores, este VIII Capítulo integra o Desjejum e Recriação da matança tradicional a decorrer no Parque Biológico da Serra da Lousã, e a iniciar logo pelas 9h00.

A cerimónia de entronização dos 6 novos confrades decorrerá em concomitância com a recriação da matança tradicional.

Até lá, os confrades poderão ir à missa, e visitar o Templo Ecuménico Universalista - inaugurado a 11 de Setembro passado com a presença do Ministro-Adjunto Eduardo Cabrita e dos principais líderes nacionais de várias religiões.

O “Jantar da Matança” começará às 14h30 no Hotel Parque Serra da Lousã, privilegiando a integração dos produtos Terra Solidária.

Terra Solidária é marca nacional da Fundação ADFP, e designa a produção da organização em vinhos, mel, compotas, e mais recentemente, queijos e fumeiro.

O custo de participação no Capítulo, por pessoa, é de 25 €, sendo que 10% da receita revertem para a valência de apoio a crianças e jovens “em família”.

Nunca é demais lembrar as origens da Real Confraria da Matança do Porco, que surgiu para lutar contra o fundamentalismo da ASAE, que na altura pretendia acabar com a matança do porco tradicional.

“A ASAE pretendia impedir práticas culturais em Portugal, como a da matança. Foi para enfrentar esse fundamentalismo que nasceu a Confraria, em defesa da matança como festa pagã, e que só pode ser efetuada por religiões em que se come carne de porco”, disse então Jaime Ramos por ocasião do VII Capítulo.

Comentários