Animação de loading

2022 Começa cheio de nascimentos no Parque Biológico

Vitela e cabrito de raça autóctone nascem no Parque Biológico.

07 Fevereiro 2022 | Turismo, Atividade Agroflorestal

O início do ano chega cheio de nascimentos à Quinta Pedagógica do Parque Biológico da Serra da Lousã, em Miranda do Corvo. A semana iniciou com o nascimento de um cabrito de raça Serrana, uma raça tradicional da agro-pastorícia portuguesa, seguido do nascimento de uma vitela de raça Minhota. Ambas pertencem ao programa do parque de promoção, valorização e reprodução de raças autóctones de cabras, ovelhas, vacas, porcos e galinhas.

No espaço é possível observar de perto as raças que se inserem na agro-pastorícia tradicional, estando o Parque a tentar atingir a representação de 100% das raças das várias espécies. Neste momento, já é possível conhecer as 3 raças de Porco (Bísaro, Alentejano e Malhado de Alcobaça), as 4 raças de Galinha (Pedrês Portuguesa, Preta, Amarela e Branca), 4 raças de Cabra (Anã, Bravia, Serrana, Serpentina), 2 raças de Ovelha (Churra do Minho e Serra da Estrela) e 7 raças de Vaca (Arouquesa, Barrosã, Cachena, Marinhoa, Minhota, Jarmelista e Mertolenga).

O Parque promove a compra de um saquinho de alimento junto da bilheteira que permite aos seus visitantes alimentar estas espécies tradicionais das quintas portuguesas, criando momentos únicos e memoráveis junto de miúdos e graúdos.

Afirmando-se com uma das principais atrações turísticas da região, o Parque Biológico forma, em conjunto com o Ecomuseu Espaço da Mente e o Templo Ecuménico Universalista, o Trivium. O conjunto conta já com mais de 360 mil visitantes.

O Parque Biológico integra o Parque Selvagem, a Quinta Pedagógica, uma zona museológica e um labirinto de árvores de fruto. Durante a visita podem ser observadas várias espécies de aves de rapina, ursos pardos, linces, lobos, raposas, javalis, veados, entre muitos outros animais. O principal objetivo do Parque é a promoção da biofilia e a sensibilização dos seus visitantes para a biodiversidade existente no país e para os fatores que ameaçam a sua sobrevivência.

Propriedade da Fundação ADFP (FADFP), instituição de solidariedade social sem fins lucrativos com sede em Miranda do Corvo, estes investimentos seguem uma lógica de integração e cerca de 70% dos trabalhadores sofrem de algum tipo de doença, deficiência física ou mental. A instituição apoia mulheres/mães em situação de pobreza, crianças, jovens e adultos com deficiência ou doença mental, idosos doentes em fim de vida, refugiados, pessoas “sem-abrigo”. A FADFP tem vindo a investir nas áreas do turismo e agricultura contribuindo para o desenvolvimento regional e para a sustentabilidade das suas atividades sociais.

Localizado a menos de 20 minutos da cidade de Coimbra e da belíssima aldeia do Gondramaz, o Parque Biológico é servido por uma unidade Hoteleira – o Hotel Parque Serra da Lousã, e também pelo Restaurante Museu da Chanfana. Junto ao Parque existe também uma Loja de Artesanato.